CONSULTÓRIO: 31 3262-3538

A responsabilidade da nova mamãe é muito grande. Decisões do estilo de vida que ela adota durante a gestação até os 2 anos de idade do filho, podem influenciar no futuro da criança. Cada vez mais estudiosos indicam que esse tempo é considerado o período de ouro, que determina o destino da criança em diversos aspectos: sociais, intelectuais e, claro, biológicos (desenvolvimento).

Já se sabe que apenas 20% dos nossos genes têm relação com fatores hereditários. Cerca de 80% são influenciados por questões externas, como a nutrição, o uso de medicamentos, infecções adquiridas e a prática ou não de exercícios físicos.

“Os primeiros mil dias de vida são a janela de oportunidade para a construção de um futuro melhor para indivíduo e para os seus descendentes” – Caroline Fernandes

Outras pesquisas apontam ainda que existe uma relação direta entre a alimentação materna e alterações em características do DNA do feto. Alimentar-se de açúcares e gorduras durante a gestação aumenta a chance da criança desenvolver alguma doença na fase adulta, como diabetes, hipertensão, intolerâncias alimentares e alergias.

A dieta da mamãe também tem um grande impacto até na formação do paladar da criança. Ainda no útero, o bebê tem contato com aromas e sabores; influenciando suas preferências alimentares no futuro.

As papilas gustativas se formam a partir da sétima ou oitava semana de gravidez e cada sabor é experimentado através do líquido amniótico. O doce do chocolate, o amargo do limão e o salgado daquela batatinha chegam ao útero pela circulação sanguínea.

Confira quais são as escolhas ideais para cada fase:

  • Tentantes

Nutrição adequada facilita a ocorrência da gravidez. Ela também é fundamental para a constituição de boa “célula matriz”, na hora da concepção.

  • 1° trimestre de gestação

A saúde do feto depende da condição nutricional materna antes da gravidez. Nesta fase, é fundamental receber reforços em forma de suplementação, especialmente de ácido fólico, para proteger o feto das malformações.

  • Do 4° mês até o final da gestação

É fundamental ficar atento às quantidades de iodo e ômega 3, essenciais para o desenvolvimento humano,  principalmente  o cerebral, que ocorre justamente nessa fase dos mil primeiros dias. Deficiências de iodo podem causar comprometimento no desenvolvimento cognitivo/comportamental e menores níveis de inteligência.

  • Amamentação

A amamentação previne problemas como a síndrome metabólica, dislipidemias, diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica, além de efeito protetor contra doenças cardiovasculares.

  • Introdução de novos alimentos

A  introdução de novos alimentos deve complementar as qualidades do leite materno a partir dos seis meses de vida.

 

Equilíbrio, variedade e qualidade são imprescindíveis na alimentação durante a gestação. O compromisso da mamãe começa já com o que ela coloca no prato durante a gravidez!

 

Leia mais: