CONSULTÓRIO: 31 3262-3538

Você se lembra da sua papinha favorita? Ou de como sua mãe te embalava no colo enquanto cantava? Do medo do escuro? Por mais que te faltem lembranças do começo da sua vida, essa fase faz jus ao nome “período de ouro”: é um tempo determinante para o desenvolvimento saudável da criança — tanto na infância quanto na vida adulta.  

Você sabia que o paladar do bebê se desenvolve ainda na barriga da mamãe? No útero, ele tem contato com aromas e sabores; constituindo suas preferências alimentares. As papilas gustativas se formam a partir da sétima ou oitava semana de gravidez e cada sabor é experimentado através do líquido amniótico. O doce do chocolate, o amargo do limão e o salgado daquela batatinha chegam ao útero pela circulação sanguínea.

Por isso, o ideal é adotar uma dieta balanceada: fugir da tentação da praticidade dos ultraprocessados e investir em alimentos ricos nutricionalmente. Oferecendo variedade e qualidade você ajuda a criar um hábito alimentar o mais saudável possível para o seu filho.

Além disso, pesquisas apontam que alimentar-se de açúcares e gorduras durante a gestação aumenta a chance da criança desenvolver alguma doença na fase adulta, como diabetes, hipertensão, intolerâncias alimentares e alergias.

É comum ainda que indivíduos que foram gerados em um meio de deficiência nutricional ou restrição alimentar enfrentem um quadro de excesso de peso na vida adulta. É como se eles tivessem desenvolvido um mecanismo de defesa ao período de insuficiência de energia — uma produção anormal de células de gordura. Além disso, eles tendem a ter um apetite maior do que as outras crianças nos primeiros anos de vida.

Por tudo isso, escolha com consciência o que vai colocar no prato hoje. Cada decisão pode definir o destino do seu filho.

 

Leia mais: