CONSULTÓRIO: 31 3262-3538

Uma dúvida recorrente entre as gestantes é sobre o uso do adoçante. Grávidas podem tomá-lo? Sim, mas é preciso cautela. Há pesquisas mais atuais, testadas apenas em animais, que indicam que alimentos e bebidas com adoçantes artificiais são seguros durante a gravidez. Porém, outros estudos alertam para os malefícios que o uso de adoçantes pode causar ao organismo de qualquer pessoa.

O Food and Drug Administration — FDA — organismo responsável pela regulamentação de remédio e alimentos nos Estados Unidos, aprova cinco tipos de adoçantes:

 

1- Acessulfame -K

Esse composto é totalmente eliminado na urina e por isso acredita-se que não causa problemas à gestação. Limite diário de 15mg por quilo de peso, segundo a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

2- Aspartame

Deve ser evitado por pessoas que sofrem de fenilcetonúria, defeito congênito que causa acúmulo do aminoácido fenilalanina no corpo. Nesses casos, o organismo da pessoa não consegue decompor uma substância presente nesse adoçante e o acúmulo dela pode levar ao retardo mental no bebê. Aspartame é muito usado nas bebidas e lanches de baixa caloria. Confira os rótulos com atenção! Limite máximo de 40mg por quilo de peso ao dia.

 

3- Neotame

É mais utilizado pela indústria. Tem fórmula semelhante ao aspartame.

 

4- Sucralose

Quase totalmente eliminado na urina, portanto, considerado não prejudicial ao feto. Não há orientação da quantidade indicada para ingestão por gestantes.

 

5- Sacarina

Um dos primeiros adoçantes artificiais. Pesquisas antigas apontaram essa substância como pré-cancerígena, mas outros estudos não confirmaram essa tese. Limite diário de 5mg por quilo de peso, de acordo com a Anvisa.

 

No Brasil também utilizamos muito o estévia,  adoçante natural extraído de uma planta, cuja origem é a Serra do Amabay, na fronteira entre Brasil e Paraguai. Ele não é classificado pelo FDA, mas existem pesquisas que indicam que ele é seguro. Há adoçantes, como o sorbitol (presente em chicletes e produtos diet), que podem causar gases e devem ser evitados, assim como o ciclamato e a sacarina.

É importante conversar com a sua #nutri antes de consumir qualquer tipo de adoçante. O açúcar mascavo, por exemplo, pode ser uma alternativa mais nutritiva e saudável durante a gravidez. Basta consumir com moderação.

 

Leia mais: