CONSULTÓRIO: 31 3262-3538

Carbofobia é o um termo utilizado para o medo exagerado de consumir carboidratos. Gradualmente, ao longo dos anos, os carboidratos se tornaram ,dentro do senso comum, o vilão das dietas. Pessoas de toda parte acham que basta cortar o carboidrato do prato para emagrecer como em uma passe de mágica.

Quando a pessoa retira o carboidrato da dieta  de forma drástica (sem nenhuma orientação nutricional e/ou prática de atividades físicas), pode ter a falsa impressão que está perdendo peso. O que acontece é a perda de massa muscular; que denominamos perda de peso engordativa.  

O carboidrato é um nutriente essencial ao organismo, sendo a nossa principal fonte de energia. Por isso, é importantíssimo para a gestante e para a mamãe que está amamentando, por exemplo. Há estudos que demonstram que a redução extrema de carboidratos, a longo prazo, é ineficaz, porque nosso corpo se adapta para se autopreservar. Outro problema é que dietas restritivas podem levar à episódios de compulsão.

Dieta low carb é permitida durante a gestação?

A low carb é definida pelo consumo de menos de 130g de carboidratos diariamente. Essa estratégia, se acompanhada por um profissional, pode gerar bons resultados. Porém, muitas vezes, há a distorção dessa prática, com dietas com menos de 30g de carboidratos por dia. O que é recomendável, sem nenhum prejuízo à sua saúde, é trocar carboidratos simples e refinados por opções complexas, como arroz, pães e massas integrais. Mesmo assim, é preciso moderação; já que são alimentos processados.

Outro ponto importante é avaliar o índice glicêmico dos alimentos. Verduras, legumes e frutas têm índice glicêmico menor que 55 e garantem maior sensação de saciedade, além de serem ricos em fibras. E, se o indivíduo adotar a low carb e consumir apenas proteínas ruins, pode elevar sua glicose, além de provocar um desequilíbrio da flora intestinal e aumentar o risco para a formação de cálculos renais.

É importante não basear sua alimentação apenas em dicas, encontradas nas redes sociais, de pessoas que não têm formação para repassar orientações nutricionais corretas.  O processo de low carb, que virou tendência, deve ser feito com o acompanhamento de um nutricionista.

 

Leia mais: