CONSULTÓRIO: 31 3262-3538

Vocês que me acompanham já devem ter lido diversas de vezes o termo REEDUCAÇÃO ALIMENTAR. E não por acaso, é o que melhor representa o que eu acredito e defendo na nutrição como uma dieta equilibrada. A denominação, porém, é cercada de muita confusão e uso inadequado. Por isso mesmo, hoje, vou explicar o verdadeiro significado do termo, que não pode, jamais, ser confundido com dieta restritiva.

 

Se você ainda associa reeducação alimentar a um cardápio só de frutas, legumes e verduras, esquece. Também não se pode confundir dieta “disso” ou “daquilo”, com  a reeducação. Neste caso, estou falando é de um processo de reavaliar hábitos e comportamentos diante da comida. Ou seja, não tem a ver com restrição pura e simples, mas uma análise da relação que você tem com os alimentos e, claro, uma mudança de hábitos, para que a alimentação saudável e equilibrada, enfim, faça parte da sua vida a longo prazo, como estilo de vida, e não por um tempo determinado. 

 

Num processo de reeducação alimentar, você não precisa deixar de comer aquilo que gosta, mas pode aprender a comer de forma moderada, consciente, de forma a não prejudicar sua meta de emagrecer ou de permanecer magro, por exemplo. Meu papel é justamente orientar sobre a importância de colocar variedade no prato, ajudar você a fazer uma mudança consciente de hábitos. Ao final, quando você fizer as pazes com a comida, vai ver que é possível comer com prazer e com qualidade. 

 

Promover essa mudança não é fácil e é por isso que buscar ajuda é tão importante. A dica que sempre dou às minhas pacientes é começar as mudanças por algo que você pode sustentar sem tortura. Comer não pode ser um momento de estresse, você deve ter prazer e apreciar o que está comendo. 

 

“Ah, mas se eu comer só o que eu gosto, vou comer só porcaria, então!”. Sim, é verdade! Por isso, é fundamental ir lapidando os seus hábitos (é totalmente possível aprender a gostar de saladas, de frutas etc), adotar o equilíbrio e consciência à mesa. E é aos poucos mesmo. Gosta de tomar refrigerante todos os dias no almoço? Então, você pode começar tomando dia sim, dia não. Depois, uma vez por semana, até parar completamente. 

 

O segredo está em encarar um dia de transformação de cada vez e em ter mais respeito pelo seu corpo. É preciso, sobretudo, paciência. E a este processo damos o nome de REEDUCAÇÃO ALIMENTAR.