CONSULTÓRIO: 31 3262-3538

Muitas mamães percebem o aumento de pequenas manchas escuras no rosto e pescoço durante a gravidez. O distúrbio, conhecido como cloasma ou melasma, é comum na gestação e está associado às altas concentrações de estrogênio e testosterona durante esse período. Esse desequilíbrio acaba provocando mudanças na pigmentação da pele: há uma maior produção da melanina, hormônio que protege a pele dos raios ultravioleta. Mamilo, vulva e a  linha da barriga também podem ficar mais escuras por causa dessas alterações no organismo.

A exposição ao sol intensifica o surgimento do melasma. Por isso é recomendável o uso de protetor solar, chapéu ou boné e evitar a exposição prolongada entre 10h e 15 horas, quando os raios solares são mais fortes. O filtro solar deve ser reaplicado a cada duas horas em camadas generosas.

O melasma é comumente associado a uma dieta pobre em ácido fólico. Este nutriente é importante para a formação do sistema nervoso do bebê e combate a anemia, insônia e doenças cardiovasculares. Você pode encontrá-lo nos seguintes alimentos:

  • Verduras escuras –  brócolis, espinafre, couve, brócolis, aspargos, rúcula, nabo
  • Grãos – lentilha, ervilha, soja, feijão
  • Ervas – alecrim, manjericão, hortelã, tomilho e coentro
  • Sementes e nozes – amendoim, sementes de girassol, linhaça e amêndoa, avelã
  • Frutas cítricas – laranja, mamão, uva, banana

Alguns legumes e frutas têm ação fotoprotetora e também podem auxiliar na prevenção do melasma, como cenoura (rica em vitamina A) e tomate, ambos com propriedades antioxidantes.

Ainda não há cura para o melasma. O recomendável é prevenir o seu aparecimento. Depois do parto, fique alerta ao iniciar um procedimento porque substâncias químicas podem chegar ao leite e prejudicar o bebê. Não comece nenhum tratamento dermatológico por conta própria. Procure sempre um profissional especializado.